• Ana Paula Psicóloga

Autoestima e a prática do autocuidado

AUTOESTIMA

É a soma de auto confiança com autorrespeito. É exatamente a forma que eu penso e sinto sobre mim mesmo, não o que o outro pensa e sente sobre mim. Ela é construída a partir das situações vivenciadas principalmente na infância e na adolescência. É um conjunto de sentimentos e pensamentos do indivíduo sobre seu próprio valor, que se reflete em uma atitude positiva ou negativa em relação a si mesmo.


COMO SE DESENVOLVE A AUTOESTIMA?

Ela é aprendida e construída independente da nossa idade ou das experiências do passado.

Uma boa autoestima não diz respeito apenas aceitar e valorizar nossa aparência física, mas gostar de si mesma de um modo integral, daquilo que está em nosso interior (pensamentos, sentimentos, valores, experiências.) e também de quem somos por fora.


A imagem que você tem de si mesma não é herdada ou geneticamente determinada, mas sim aprendida através do autocuidado.

A baixa autoestima é causada por vários fatores, podendo ter início na infância ou adolescência ou mesmo surgir mediante situações na idade adulta. Porém é justamente na infância que a criança forma a percepção de si mesma através de pessoas significativas como os pais, cuidadores e, posteriormente, professores e amigos. Se essa visão for negativa, ela terá uma baixa autoestima.


A baixa autoestima não é uma doença, mas pode levar ao desenvolvimento de vários problemas emocionais, além de estar presente em vários deles em forma de sintomas, como:



  • Depressão;

  • Ansiedade;

  • Fobia social;

  • Dependência Química;

  • Problemas nos relacionamentos;

  • Disfunções sexuais;

  • Suicídio;

  • Obesidade;

  • Transtornos alimentares;

  • Bullying

A pessoa se sente inadequada consigo mesma, com os outros e com a vida, pensamentos e sentimentos negativos em relação a si mesma; sentimentos de incapacidade, preocupações com o que as outras pessoas podem pensar ao seu respeito, dificuldade para tomar decisões.