A importância da rede de apoio para saúde emocional

O contexto da pandemia requer maior atenção ao profissional de saúde por causa de sua saúde mental. Devido ao excesso de Trabalho, frustração, isolamento social, assistência pacientes com emoções negativas, exaustão e a falta de contato com, família, o nível elevado de ansiedade e os medos presentes em toda crise, criam um ambiente desfavorável e dificultam harmonização das emoções, a organização e a comunicação.


A rapidez com que a contaminação do coronavírus ocorre e o grau de letalidade, deixou claro o quanto a população em geral está vulnerável diante do perigo.


Esta situação causou sofrimento psíquico e o adoecimento mental aos profissionais de saúde como estresse, sintomas depressivos e de ansiedade, sintomas psicossomáticos, perda da qualidade do sono (insônia), medo de ser infectado e a angústia de infectar aos membros da família.


Ter uma rede de apoio, como médico, acompanhamento psicológico, apoio de familiares, se torna essencial para que o profissional tenha uma resposta positiva da situação e a percepção que não está sozinho neste momento tão difícil.


Como cada profissional irá enfrentar os desafios de uma forma diferente. É preciso aceitar as formas de ajuda que a cada ficará mais confortável em receber.

Para alguns, ainda que tenham um bom suporte médico, de amigos e familiares, sentirão a necessidade de serem acompanhadas por um psicólogo e/ou psiquiatra.


O profissional psicólogo terá um papel fundamental no acolhimento das dores emocionais e físicas (psicossomáticas) em ajudar a buscar formas mais positivas de enfrentar a situação atual. O acolhimento, as estratégias e/ou as intervenções, as orientações que serão necessárias por estar passando por um momento de sofrimento emocional ou algum tipo de transtorno.

Buscar na rede de apoio, como a Psicoterapia que pode auxiliar em diversos casos como os estados emocionais, os transtornos, os comportamentos, as resistências etc.


Os psicólogos podem atender de maneira presencial ou on line (à distância) depois de regularizado o cadastro no Conselho Federal de Psicologia para ajudar no que for necessário, em áreas disfuncionais.


Como ocorre o processo psicoterápico?


Foto: Vanessa Ganzerli

A aliança terapêutica entre o paciente e o psicólogo. É essencial para fluir o próprio processo, usar a escuta qualificada para identificar os pontos importantes que precisam ser trabalhados.


As principais ferramentas são a psicoeducação, entender as construções de crenças do paciente, valores, sentimentos, pensamentos e a repercussão dos mesmos na sua própria vida, e evidências sobre as formas de comportamento. Explicar a respeito dos sintomas caso exista uma psicopatologia, buscar e levantar possíveis alternativas mais apropriadas e funcionais de lidar com as demandas existentes, a fim de promover maior e melhor saúde e bem-estar.


O desafio inclui compreender que não basta enxergar os trabalhadores da saúde como heróis: é preciso garantir condições dignas de trabalho, além de respeito e apoio. São vistos como heróis, mas é fundamental lembrar que são pessoas com famílias, amigos e uma vida fora do trabalho.


Para que o profissional possa beneficiar-se de um cuidado através de processo psicoterápico necessita que a pessoa queira, pois com certeza as consequências deste período de crise pelo qual a população mundial está vivendo.


A rede de apoio é importante, mas o profissional precisa aceitar que serão necessárias mudanças de pensamentos e atitudes perante si mesmo, o contexto pandêmico e o futuro, procurar se cuidar física e emocionalmente.