A Raiva

Era uma vez uma família de balões, com 7 filhos: alegria, amor, tristeza, medo, nojo, surpresa e raiva. Seus pais ensinaram que cada filho era importante para o mundo, com propósitos definidos.

Mas havia uma filha que se sentia rejeitada pelos demais, não compreendida diante dos seus protestos ao mundo na hora de verbalizar o que sente. A cada reação não compreendida de sua expressão aumentava seu protesto com tensões.


Um dia, seus pais viram que a filha Raiva estava chorando e foram até ela para conversar. Perguntaram: “O que você está sentindo agora?”. A filha respondeu: “Estou irritada, todos me chamam de descontrolada, violenta, ando cansada de tentar falar o que sinto e não ser aceita”.


Os pais responderam: "Querida filha, você é muito importante, suas reações referem-se a um mecanismo de proteção. Compreendemos que você anda descontrolada, inchada demais, diante das reações não compreendidas. Porém, você pode aprender a desenvolver uma forma de expressão controlada, pois é a maneira saudável”.


Os pais abraçaram a raiva e ensinaram dicas de como controlar-se: quando ficar nervosa por não saber se expressar, dê uma pausa para respirar fundo e solte o ar cinco vezes e então escreva o que está sentindo e pensando. Depois, risque a folha com toda sua força e respire fundo novamente, solte o ar e escreva as possíveis soluções para resolver seus desconfortos. Expresse com assertividade os seus sentimentos e lembre que sua expressão controlada é importante para o mundo.

A raiva após ouvir as orientações de seus pais sentiu-se acolhida e depois daquele dia sua vida mudou. Pois começou a ver a sua importância e aprendeu a dar passos de autocontrole quando não era compreendia.